O QUE É A LUA NOVA?

PORQUÊ?

A Lua Nova surgiu para me encontrar.

O meu caminho podia ter tomado um rumo, mas a minha educação orientou-me numa direção padrão.

O meu percurso respeitou a formatação social, sempre pautado pelas normas estabelecidas. Nascer, crescer, estudar para conseguir um bom emprego, trabalhar para ter um bom sustento e constituir família.

Finalmente, consegui um contrato de trabalho, um emprego seguro e financeiramente estável. Passaram 3 anos, e os dias eram sempre iguais. As energias não eram boas. O sentimento de desinteresse instalava-se. A vontade de pegar no telefone, para comunicar o discurso de sempre, era cada vez menor. A contrariedade aumentava, e corrompia o meu íntimo.

A situação agravou-se, durante um momento de lazer sofri uma queda brutal que me deixou inconsciente, e com o braço imobilizado. Após várias sessões de fisioterapia, recuperei a mobilidade do braço, mas fiquei com mazelas e marcas para toda a vida. Foi um grande abanão.

Pelo caminho profissional encontrei alguém muito especial, um touro com uma sensibilidade genuína e rara em se relacionar com os seus colaboradores, o meu amigo e atual chefe.

Ele foi o principal impulsionador da minha ida a Santiago de Compostela de bicicleta. É verdade, 5 anos depois do grande trambolhão, voltei aos treinos. Ao fim de 3 dias pedalei mais de 200 km. “Bom Caminho!”. Uma viagem muito espiritual e sofrida. É uma experiência muito boa.

Em busca de uma alternativa, a Lua Nova veio para ficar.

COMO?

Ler vários autores, absorver opiniões diferentes em temas distintos, ajudaram-me a ganhar mais consciência sobre as temáticas auto-conhecimento e desenvolvimento pessoal. Permitiu mudar de vida.

A Lua Nova mudou a minha página.

Permitiu-me recomeçar, mudar a perspetiva e trabalhar a minha resiliência.

ATRAVÉS DE QUÊ?

O objetivo da Lua Nova é ajudar a harmonizar a sua vida.

Proporcionar bem-estar e plenitude, através de uma leitura mais introspetiva, em forma de cura interior, em artigos no blog e nos produtos disponíveis na loja.

Miranda Barroso